err

Pode ser só um pedacinho da orelha mas carrega uma “grande responsabilidade” no cotidiano feminino: o brinco. Um, dois, até três furos; começa na infância e às vezes nos primeiros meses de vida o uso do brinco e assim será pelo resto da vida. Com o passar dos anos, uso de brincos pesados ou até por um acidente o orifício pode alargar ou até mesmo “rasgar” o lóbulo completamente. Na prática muitas mulheres notam que algo está errado quando começam a perder brincos ou não encontram uma tarraxa que consiga prendê-los. Chamamos de lóbulo bífido quando a abertura é completa.

Outra condição que incomoda muitas mulheres e que vai se tornando evidente com o passar dos anos, é a flacidez: o lóbulo vazio ou “murcho”. Isso ocorre pela mudança na composição do tecido conjuntivo e gorduroso que preenche o lóbulo da orelha.

Sinais de envelhecimento no lóbulo da orelha

Sinais de envelhecimento no lóbulo da orelha

Ambas as condições são corrigíveis com a cirurgia plástica chamada lóbuloplastia. O lóbulo bífido ou o furo alargado é melhor tratado quando ainda não está totalmente “rasgado”. Existem várias técnicas que são empregadas para cada caso. Parece simples e é comum pensar que  apenas “dar uns pontos e fechar de novo” resolve. Na verdade é necessário reposicionar os tecidos, realizar uma “quebra” das cicatrizes anterior e posterior, além de um ajuste na borda inferior para não ficar com um aspecto “pontudo”.

A anestesia é local e o procedimento é feito em regime ambulatorial, sem necessidade de internação.

Os pontos são retirados entre 10 e 14 dias e o curativo é necessário apenas nos primeiros dias. É muito importante não utilizar brincos de pressão por pelo menos 45 dias e para fazer um novo furo somente após 3 a 6 meses.

A flacidez pode ser corrigida com preenchimento com ácido hialurônico ou enxerto de gordura. Além de grande satisfação para a paciente o procedimento, quando realizado por profissional responsável e que domine bem a técnica é rápido,  pouco invasivo e com resultado precoce.